.posts recentes

. Depois do almoço

. O que eu quero de mim?

. Viver e aprender

. Atenta aos sinais

. Saudades de mim

. Um dia diferente

. Intemporal

. A estrada

. ...

. É só domingo

.arquivos

. Novembro 2017

. Outubro 2017

. Setembro 2017

. Agosto 2017

. Julho 2017

. Junho 2017

. Maio 2017

. Abril 2017

. Março 2017

. Fevereiro 2017

. Janeiro 2017

. Dezembro 2016

. Novembro 2016

. Outubro 2016

. Setembro 2016

. Agosto 2016

. Julho 2016

. Junho 2016

. Maio 2016

. Abril 2016

. Março 2016

. Fevereiro 2016

. Janeiro 2016

. Dezembro 2015

. Novembro 2015

. Outubro 2015

. Setembro 2015

. Agosto 2015

. Julho 2015

. Junho 2015

. Maio 2015

. Abril 2015

. Março 2015

. Fevereiro 2015

. Janeiro 2015

. Dezembro 2014

. Novembro 2014

. Outubro 2014

. Setembro 2014

. Agosto 2014

. Julho 2014

. Junho 2014

. Maio 2014

. Abril 2014

. Março 2014

. Fevereiro 2014

. Janeiro 2014

. Dezembro 2013

. Novembro 2013

. Outubro 2013

. Setembro 2013

. Agosto 2013

. Junho 2013

. Maio 2013

. Abril 2013

. Março 2013

. Fevereiro 2013

. Janeiro 2013

. Dezembro 2012

. Novembro 2012

. Outubro 2012

. Setembro 2012

. Agosto 2012

. Julho 2012

. Junho 2012

. Maio 2012

. Abril 2012

. Março 2012

. Fevereiro 2012

. Janeiro 2012

. Dezembro 2011

. Novembro 2011

. Outubro 2011

. Julho 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Julho 2010

. Maio 2010

. Março 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Setembro 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Setembro 2007

. Agosto 2007

. Julho 2007

. Maio 2007

. Abril 2007

. Março 2007

. Fevereiro 2007

Sábado, 17 de Maio de 2008

Ouço passos, ouço brisas...

Ouço sons que me perturbam

E ouço brisas e passos,

e ouço beijos e sinto abraços

de braços que o foram

em tempos idos.

E sinto mãos suaves

que me afagam

e ouço vozes, algures na lembramça,

como aquelas que nos gritam

em criança, 

chamando o nosso 

 nome pele tarde.  

E a noite em pés  de medo

está atrás de um sol que arde.

 

Ouço a porta a ranger,

aspiro o odôr do pão quente

trazido à pressa

para se comer

entre risos, gritos e gente.

 

Memórias há,

duma riqueza enorme.

Mas só um leitor

pode decifrar

o código do sentimento.

 

 

           

 

 

 

sinto-me:

publicado por velhoparafuso às 14:13

link do post | comentar | favorito
|

Sábado, 10 de Maio de 2008

Antigo 27.

O 27 era um número mágico. Era  o encontro com a independência, com o estar só e mais ainda, com a concretização  de um sonho. E quando revejo os locais e memorizo os acontecimentos, enalteço o meu esforço e a força interior que lhe serviu de alavanca. Tudo estava por fazer. O ideal não existe, mas quase o consegui. A ambição  foi sempre sábia. Não  queria muito mais do que podia. Assim fui juntando pedra a pedra, moeda a moeda, sorriso a sorriso. Ninguém sabe do que estou falando, de  que número mágico  tiro este riso aberto que agora ostento. Velha e feliz.


publicado por velhoparafuso às 22:51

link do post | comentar | favorito
|

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Novembro 2017

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4

5
6
7
8
9
10

12
13
14
15
16
17
18

19
20
22
23
24
25

26
27
28
29
30


.tags

. todas as tags

.favorito

. Maratonistas

. o que acontece?

. Ida e volta

.Fazer olhinhos

blogs SAPO

.subscrever feeds