.posts recentes

. Ignorante

. Falar de quê?

. As sombras

. O poder da vontade

. Apenas imaginar

. As festas

. As casas

. Alcobaça

. A circunstância

. O que me falta

.arquivos

. Julho 2017

. Junho 2017

. Maio 2017

. Abril 2017

. Março 2017

. Fevereiro 2017

. Janeiro 2017

. Dezembro 2016

. Novembro 2016

. Outubro 2016

. Setembro 2016

. Agosto 2016

. Julho 2016

. Junho 2016

. Maio 2016

. Abril 2016

. Março 2016

. Fevereiro 2016

. Janeiro 2016

. Dezembro 2015

. Novembro 2015

. Outubro 2015

. Setembro 2015

. Agosto 2015

. Julho 2015

. Junho 2015

. Maio 2015

. Abril 2015

. Março 2015

. Fevereiro 2015

. Janeiro 2015

. Dezembro 2014

. Novembro 2014

. Outubro 2014

. Setembro 2014

. Agosto 2014

. Julho 2014

. Junho 2014

. Maio 2014

. Abril 2014

. Março 2014

. Fevereiro 2014

. Janeiro 2014

. Dezembro 2013

. Novembro 2013

. Outubro 2013

. Setembro 2013

. Agosto 2013

. Junho 2013

. Maio 2013

. Abril 2013

. Março 2013

. Fevereiro 2013

. Janeiro 2013

. Dezembro 2012

. Novembro 2012

. Outubro 2012

. Setembro 2012

. Agosto 2012

. Julho 2012

. Junho 2012

. Maio 2012

. Abril 2012

. Março 2012

. Fevereiro 2012

. Janeiro 2012

. Dezembro 2011

. Novembro 2011

. Outubro 2011

. Julho 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Julho 2010

. Maio 2010

. Março 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Setembro 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Setembro 2007

. Agosto 2007

. Julho 2007

. Maio 2007

. Abril 2007

. Março 2007

. Fevereiro 2007

Terça-feira, 28 de Abril de 2009

Porta estreita

Não passo

por entre o espaço

deixado

dentro de mim.

Será que nada

é acaso,

mas a minha alma

é assim.

Sinto-me presa,

confusa,

para saír

de onde estou,

não há caminho

de volta

e não sei

para onde vou.


publicado por velhoparafuso às 11:15

link do post | comentar | favorito
|

Segunda-feira, 27 de Abril de 2009

Até amanhã, Maria

A criança que fui chora na estrada.

Deixei-a ali quando vim ser quem sou;

Mas hoje, vendo que o que sou é nada,

Quero ir buscar quem fui onde ficou.

 

Só Fernando Pessoa poderia dizer tanto em palavras tão simples. Que maravilha. Que comovente é esta forma de expressar a dor da frustação que cabe a cada ser quando recorda e analise a sua vivência. Mais nada digo. Voltando ao título, até.........


publicado por velhoparafuso às 11:18

link do post | comentar | favorito
|

O que cada palavra pode representar

O sentido que pode ser atribuído a cada palavra pode variar conforme o tom de voz em que é dito, a compreensão do ouvinte e até o seu estado emocional. É o que tenho observado ao longo da vida. O que se sente ao ler ou a ouvir contar um acontecimento, não pode ser sentido numa simples conversa ou numa acesa discussão. E no entanto, as palavras são as mesmas, desde que não se varie de idioma. Pois nesta diversidade linguística o conteúdo da palavra já não apreendido da mesma forma. É óbvio que não pretendo fazer estudos sobre o tema, mas apenas dar aso ao prazer de escrever sobre pensamentos e ideias que me ocorrem. Apenas isso. Um prazer solitário, acalentado por um espírito inquieto.


publicado por velhoparafuso às 10:55

link do post | comentar | favorito
|

Quarta-feira, 22 de Abril de 2009

"Elogio do Silêncio" de Marc de Smedt

As palavras são prisões: não apenas porque nos limitam constantemente, como também porque me parece que lhes atrbuímos significados errados. Quando penso que traduzimos "metanóia" por convertei-vos e depois, ainda pior,  por fazei penitência, arrependei-vos, quando esse termo significa que o NÓS, o ESPÍRITO, voa para lá de si próprio! Que diferença, que tem marcado com o seu ferro gerações de pobres crentes, mantendo-os subjugados! "Transformai-vos" , "Entrai em metamorfose", tem um outro sabor... claramente mais próximo de nós. De facto, a alma chegou ao ponto onde o EU se decide.

Este trecho tirado da página 169, do citado livro, é por si só, um vasto conjunto de ideias acessíveis para quem encontra prazer em desenvolver e comparar os seus conhecimentos com outros já culturalmente superiores. Neste espaço poderei envolver-me em conversas sobre as traduções tidas como indiscutíveis e as várias tendências a que as mesmas estão sugeitas.  Por hoje, mais não devo adiantar.


publicado por velhoparafuso às 14:30

link do post | comentar | favorito
|

Terça-feira, 21 de Abril de 2009

Olá Pessoal

Já começou a experiência de tudo ser novidade. O local a que se chama CASA, o convívio, o carinho de gente desconhecida, os cheiros e os olhares até agora sem significado, impondo-se no cotidiano para ser analisado e absorvido pelos sentidos.  Mais tarde, após o choque inicial, terei que opinar, de mim para mim, nestes secretos monólogos que por hábito tenho, ajuizar o que ganhei, pois nada perdi além das obrigações que enchiam o dia a dia. E agora é só viver, atenta à Alma que em mim está fazendo o seu caminho.


publicado por velhoparafuso às 16:48

link do post | comentar | favorito
|

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Julho 2017

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9
10
11
13
14
15

16
17
18
19
20
21
22

23
24
25
26
27
28
29

30
31


.tags

. todas as tags

.favorito

. Maratonistas

. o que acontece?

. Ida e volta

.Fazer olhinhos

blogs SAPO

.subscrever feeds