.posts recentes

. Depois do almoço

. O que eu quero de mim?

. Viver e aprender

. Atenta aos sinais

. Saudades de mim

. Um dia diferente

. Intemporal

. A estrada

. ...

. É só domingo

.arquivos

. Novembro 2017

. Outubro 2017

. Setembro 2017

. Agosto 2017

. Julho 2017

. Junho 2017

. Maio 2017

. Abril 2017

. Março 2017

. Fevereiro 2017

. Janeiro 2017

. Dezembro 2016

. Novembro 2016

. Outubro 2016

. Setembro 2016

. Agosto 2016

. Julho 2016

. Junho 2016

. Maio 2016

. Abril 2016

. Março 2016

. Fevereiro 2016

. Janeiro 2016

. Dezembro 2015

. Novembro 2015

. Outubro 2015

. Setembro 2015

. Agosto 2015

. Julho 2015

. Junho 2015

. Maio 2015

. Abril 2015

. Março 2015

. Fevereiro 2015

. Janeiro 2015

. Dezembro 2014

. Novembro 2014

. Outubro 2014

. Setembro 2014

. Agosto 2014

. Julho 2014

. Junho 2014

. Maio 2014

. Abril 2014

. Março 2014

. Fevereiro 2014

. Janeiro 2014

. Dezembro 2013

. Novembro 2013

. Outubro 2013

. Setembro 2013

. Agosto 2013

. Junho 2013

. Maio 2013

. Abril 2013

. Março 2013

. Fevereiro 2013

. Janeiro 2013

. Dezembro 2012

. Novembro 2012

. Outubro 2012

. Setembro 2012

. Agosto 2012

. Julho 2012

. Junho 2012

. Maio 2012

. Abril 2012

. Março 2012

. Fevereiro 2012

. Janeiro 2012

. Dezembro 2011

. Novembro 2011

. Outubro 2011

. Julho 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Julho 2010

. Maio 2010

. Março 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Setembro 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Setembro 2007

. Agosto 2007

. Julho 2007

. Maio 2007

. Abril 2007

. Março 2007

. Fevereiro 2007

Sábado, 19 de Fevereiro de 2011

Melros, meus vizinhos

Ouvir cantar estes líricos da natureza é um prazer imenso. Todas as tardes há um concerto de vozes e trinados a encher de graças as nossas vidas. Pena é que não seja ouvido por todos os residentes, por distração ou deficiência auditiva. Não sei e nem pergunto, pois a pergunta até pode parecer tola a quem vive com pouca atenção ao exterior. E, no entanto, este jardim está cheio de prazeres para os nossos sentidos. Até a chuva lhe dá beleza, com reflexos das plantas nos vidros molhados. Assim são os risos de cada dia, dádivas que podem animar os velhos corações.


publicado por velhoparafuso às 18:34

link do post | comentar | favorito
|

Sábado, 12 de Fevereiro de 2011

Estrangeira em mim

Aparentemente não modifiquei a face ou o andar ou as frases feitas que todos usamos, sem dar por elas. Serei eu em consciência, com o peso da responsabilidade pela vida que construo, vivendo. Mas pergunto a esta, então... e onde está a outra? A que aparece sem hora, cheia de tudo? Que é activa, artista e poeta e que se rebela à corrente que me vai tolhendo? Talvez viva no "mundo das ideias" e de lá desça para enriquecer o meu tempo. E por vir de fora é estrangeira. Quando chega, dá brilho aos olhos e calor ao sangue. Vem com imagens novas na ponta do lápis ou coisas atrevidas para concretizar. Esta é uma fórmula que inventei e me diverte: encontrar outra em mim, que justifique os pensamentos desordenados deste cérebro usado.


publicado por velhoparafuso às 18:46

link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito
|

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Novembro 2017

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4

5
6
7
8
9
10

12
13
14
15
16
17
18

19
20
22
23
24
25

26
27
28
29
30


.tags

. todas as tags

.favorito

. Maratonistas

. o que acontece?

. Ida e volta

.Fazer olhinhos

blogs SAPO

.subscrever feeds