.posts recentes

. É só domingo

. Passear comigo

. Abre e vê

. Hábito ou necessidade

. Lágrimas

. Calor e coração

. ...

. Manhã de nada

. ...

. Ignorante

.arquivos

. Setembro 2017

. Agosto 2017

. Julho 2017

. Junho 2017

. Maio 2017

. Abril 2017

. Março 2017

. Fevereiro 2017

. Janeiro 2017

. Dezembro 2016

. Novembro 2016

. Outubro 2016

. Setembro 2016

. Agosto 2016

. Julho 2016

. Junho 2016

. Maio 2016

. Abril 2016

. Março 2016

. Fevereiro 2016

. Janeiro 2016

. Dezembro 2015

. Novembro 2015

. Outubro 2015

. Setembro 2015

. Agosto 2015

. Julho 2015

. Junho 2015

. Maio 2015

. Abril 2015

. Março 2015

. Fevereiro 2015

. Janeiro 2015

. Dezembro 2014

. Novembro 2014

. Outubro 2014

. Setembro 2014

. Agosto 2014

. Julho 2014

. Junho 2014

. Maio 2014

. Abril 2014

. Março 2014

. Fevereiro 2014

. Janeiro 2014

. Dezembro 2013

. Novembro 2013

. Outubro 2013

. Setembro 2013

. Agosto 2013

. Junho 2013

. Maio 2013

. Abril 2013

. Março 2013

. Fevereiro 2013

. Janeiro 2013

. Dezembro 2012

. Novembro 2012

. Outubro 2012

. Setembro 2012

. Agosto 2012

. Julho 2012

. Junho 2012

. Maio 2012

. Abril 2012

. Março 2012

. Fevereiro 2012

. Janeiro 2012

. Dezembro 2011

. Novembro 2011

. Outubro 2011

. Julho 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Julho 2010

. Maio 2010

. Março 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Setembro 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Setembro 2007

. Agosto 2007

. Julho 2007

. Maio 2007

. Abril 2007

. Março 2007

. Fevereiro 2007

Quinta-feira, 21 de Março de 2013

Fim de tarde

A alma chama o silêncio. Ele vem lento, por ser repleto de sons da vida. São dificeis de abafar, mas a alma insiste. Para entrar no silêncio tem de esvazía-lo, tirar desse centro as vozes, o cantar do merlo, que está agora a invadir o jardim. E querer para dentro, dificil de exprimir. Apenas um atalho, uma bolha volátil, algo onde encontra-Te. Sei que estás, mas é a alma que Te sente, depois do silêncio ser só silêncio. Apenas um atalho, uma porta estreita, que o tempo urge e a espera é feita de esperança. As palavras são preces que, por vezes, parecem asas a cortar os céus. 


publicado por velhoparafuso às 18:26

link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito
|

Terça-feira, 19 de Março de 2013

Desmotivar

O dia é finito.

A vida é finita.

A morte sentou-se à porta.

É vermelho o pôr do sol.

E há um mudo que grita

enquanto eu leio poemas

para escrever amanhã.

 

A noite já vai para o dia.

São dois aspectos do tempo,

num amplexo contínuo,

reduzido a um momento.

E pode ser a tal espera,

a curva que o tempo faz,

o lugar, talvez a hora,

onde tudo se desfaz.


publicado por velhoparafuso às 11:41

link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito
|

Quinta-feira, 14 de Março de 2013

13 - 3 - 13

Os números às vezes incomodam. As datas são recordadas, somam-se os algarismos, procuram-se capicuas, este ou aquele dão sorte, há simbolismos e também coincidências. Mas antes de nos sentirmos perturbados, devemos pensar que as datas são subjetivas, a matemática tem muitos raciocínios lógicos e os números não são usados de igual forma por toda a humanidade. E tudo isto porque esta data me colocou no ano 2000, quando ambos fomos gozar as últimas férias, esperançados no regresso a casa. E voltei só. Foi um vazio do tamanho do mundo. E continua, agora vivido com a sabedoria que a velhice ensina. A viver com o que sobrou de todos e de tanto que se teve, sem se saber quão ricos éramos, quando o fomos.


publicado por velhoparafuso às 11:44

link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito
|

Domingo, 3 de Março de 2013

No meu oásis

Entre o que é o destino e o que é o livre arbítrio há um espaço de equilibrio, visto um e outro serem forças contrárias, que regem as nossas vidas e que se complementam. Do destino não podemos fugir, iremos sempre ser objeto de acontecimentos que não esperamos, mas que teremos de enfrentar. Quanto ao livre arbítrio, são as nossas escolhas que ditarão as nossas vidas. Tudo junto é um fardo, muitas vezes dificil de transportar e alterar. É nessas ocasiões que é possivel encontrar o tal espaço, a que eu chamo "o meu oásis". Neste caminho interno, é pela humildade que O encontramos. É de Paz e de Luz. Pegamos na Esperança e apertamo-la contra o coração e talvez a alegria por ali ter chegado, ajude a absorver a Energia para continuar.


publicado por velhoparafuso às 16:27

link do post | comentar | favorito
|

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Setembro 2017

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2

3
4
5
6
7
8
9

10
12
13
15
16

18
19
20
21
22
23

24
25
26
27
28
29
30


.tags

. todas as tags

.favorito

. Maratonistas

. o que acontece?

. Ida e volta

.Fazer olhinhos

blogs SAPO

.subscrever feeds