.posts recentes

. Depois do almoço

. O que eu quero de mim?

. Viver e aprender

. Atenta aos sinais

. Saudades de mim

. Um dia diferente

. Intemporal

. A estrada

. ...

. É só domingo

.arquivos

. Novembro 2017

. Outubro 2017

. Setembro 2017

. Agosto 2017

. Julho 2017

. Junho 2017

. Maio 2017

. Abril 2017

. Março 2017

. Fevereiro 2017

. Janeiro 2017

. Dezembro 2016

. Novembro 2016

. Outubro 2016

. Setembro 2016

. Agosto 2016

. Julho 2016

. Junho 2016

. Maio 2016

. Abril 2016

. Março 2016

. Fevereiro 2016

. Janeiro 2016

. Dezembro 2015

. Novembro 2015

. Outubro 2015

. Setembro 2015

. Agosto 2015

. Julho 2015

. Junho 2015

. Maio 2015

. Abril 2015

. Março 2015

. Fevereiro 2015

. Janeiro 2015

. Dezembro 2014

. Novembro 2014

. Outubro 2014

. Setembro 2014

. Agosto 2014

. Julho 2014

. Junho 2014

. Maio 2014

. Abril 2014

. Março 2014

. Fevereiro 2014

. Janeiro 2014

. Dezembro 2013

. Novembro 2013

. Outubro 2013

. Setembro 2013

. Agosto 2013

. Junho 2013

. Maio 2013

. Abril 2013

. Março 2013

. Fevereiro 2013

. Janeiro 2013

. Dezembro 2012

. Novembro 2012

. Outubro 2012

. Setembro 2012

. Agosto 2012

. Julho 2012

. Junho 2012

. Maio 2012

. Abril 2012

. Março 2012

. Fevereiro 2012

. Janeiro 2012

. Dezembro 2011

. Novembro 2011

. Outubro 2011

. Julho 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Julho 2010

. Maio 2010

. Março 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Setembro 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Setembro 2007

. Agosto 2007

. Julho 2007

. Maio 2007

. Abril 2007

. Março 2007

. Fevereiro 2007

Sexta-feira, 26 de Abril de 2013

A Avó

De tudo que desenho neste ecran, o que mais gosto são estas pequenas figuras representando cenas familiares. Embora o sofware não seja indicado para este portátil, ainda consigo tirar dele algum rendimento.  O miúdo é ladino e parece não ligar ao livro que a Avó lhe mostra. Sou tão rica, meu Deus..


publicado por velhoparafuso às 16:26

link do post | comentar | favorito
|

...

{#emotions_dlg.blink}{#emotions_dlg.blushed}Um dia escrevi um texto que muito me agradou. Juntei-lhe um desenho e tudo foi devorado pelo computador. Não faltou energia, não houve programas a pedir premissão para entrar. Foi um apagão misterioso. Perdi o assunto e sou incapaz de o reproduzir. Agora mesmo a situação repetiu-se, mas após ter sido utilizado um novo programa, tudo voltou ao ecran. Enfim, tenho de aceitar, pois pouco ou nada sei desta forma misteriosa de comunicação, cuja tecnologia é complicadissima para mim. Mas é também muito divertida. Vejo cinema, meto-lhe música, jogo com cartas ou outras modalidades, tiro fotos, etc, etc. Além da parte cultural e noticiosa que enriquece qualquer um. Mas afinal para que serve esta escrita? Não tem assunto que valha a pena ler, sem um fim possivel e válido. Por hoje desisto. Sinto-me vazia.


publicado por velhoparafuso às 16:18

link do post | comentar | favorito
|

Domingo, 14 de Abril de 2013

Fatalmente

Era de prata o dedal.

Era um tal ponto cruzado.

Era o olhar de Mãe

sobre o bordado,

feito no linho de alguém.

Era a luz da rebeldia

iluminando a lição.

Tudo pela garantia

de uma, talvez união.

Era uma forma esquisita.

Era uma lei social.

Era um ideal antigo

de um projeto qualquer.

Era por não ser ouvida

nem chamada a ser Mulher.

Era uma lei social.

Ainda é de prata o dedal.


publicado por velhoparafuso às 15:48

link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito
|

Domingo, 7 de Abril de 2013

Um dia sem mim

Tudo é mecanizado quando eu não estou. Nesta divisão que faço de mim, em que a aparência é uma e o Eu interno é outra, há por vezes uma estranha ausência do Eu, como se as tarefas e os horários fôssem cumpridos sem a presença do primeiro titular, neste contrato com o Criador. Para tudo somos chamados, mas nem sempre sabemos estar presentes. E há épocas da vida em que pensamos que fazer muitas coisas e não parar para pensar, é solução para que tudo seja como desejamos. Assim é se for de utilidade para outrém, não só para nós. Tenho consciência dessas situações mas persisto, porque quero ser como vejo ser à minha volta, onde as conversas se afundam no vulgar, entre cores, modos e críticas, com uma mesa redonda a jeito para haver lugar para muitos. Quando sou só aparência sinto-me vazia mas existo.  


publicado por velhoparafuso às 17:41

link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito
|

Segunda-feira, 1 de Abril de 2013

No dia das mentiras

...houve sol, amainou o vento, e sentiu-se o odor de uma primavera tímida já instalada. A chuva que ontem desabou, também nos inundou por dentro. É como se os ossos tivessem estado destapados, sem carne e sem guarda chuva. Fora do nosso normal, que é o sol brilhando no azul esplendoroso, parecemos as almas penadas das histórias fantásticas ouvidas na infância. Em anos anteriores, a ameaça de seca rondou todo o inverno e, por isso, era previsivel a mudança. Só que nós, humanos, não nos preparamos para os ritmos da Natureza, violenta por vezes, mas sempre impiadosa com os erros feitos. São as construções onde deveriam correr as águas, são as árvores cortadas nas encostas, é a nossa Casa Mãe usada sem devida adoração e respeito. Há agora uma semente que talvez venha a dar os frutos, os vários grandes movimentos de homens inspirados e determinados em aliviar essa Mãe sofrida e sugada por seres ignorantes, que se julgam evoluidos e sábios. E agora aguardemos um outro dia.


publicado por velhoparafuso às 17:36

link do post | comentar | favorito
|

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Novembro 2017

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4

5
6
7
8
9
10

12
13
14
15
16
17
18

19
20
22
23
24
25

26
27
28
29
30


.tags

. todas as tags

.favorito

. Maratonistas

. o que acontece?

. Ida e volta

.Fazer olhinhos

blogs SAPO

.subscrever feeds