.posts recentes

. Ignorante

. Falar de quê?

. As sombras

. O poder da vontade

. Apenas imaginar

. As festas

. As casas

. Alcobaça

. A circunstância

. O que me falta

.arquivos

. Julho 2017

. Junho 2017

. Maio 2017

. Abril 2017

. Março 2017

. Fevereiro 2017

. Janeiro 2017

. Dezembro 2016

. Novembro 2016

. Outubro 2016

. Setembro 2016

. Agosto 2016

. Julho 2016

. Junho 2016

. Maio 2016

. Abril 2016

. Março 2016

. Fevereiro 2016

. Janeiro 2016

. Dezembro 2015

. Novembro 2015

. Outubro 2015

. Setembro 2015

. Agosto 2015

. Julho 2015

. Junho 2015

. Maio 2015

. Abril 2015

. Março 2015

. Fevereiro 2015

. Janeiro 2015

. Dezembro 2014

. Novembro 2014

. Outubro 2014

. Setembro 2014

. Agosto 2014

. Julho 2014

. Junho 2014

. Maio 2014

. Abril 2014

. Março 2014

. Fevereiro 2014

. Janeiro 2014

. Dezembro 2013

. Novembro 2013

. Outubro 2013

. Setembro 2013

. Agosto 2013

. Junho 2013

. Maio 2013

. Abril 2013

. Março 2013

. Fevereiro 2013

. Janeiro 2013

. Dezembro 2012

. Novembro 2012

. Outubro 2012

. Setembro 2012

. Agosto 2012

. Julho 2012

. Junho 2012

. Maio 2012

. Abril 2012

. Março 2012

. Fevereiro 2012

. Janeiro 2012

. Dezembro 2011

. Novembro 2011

. Outubro 2011

. Julho 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Julho 2010

. Maio 2010

. Março 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Setembro 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Setembro 2007

. Agosto 2007

. Julho 2007

. Maio 2007

. Abril 2007

. Março 2007

. Fevereiro 2007

Sábado, 25 de Julho de 2015

Quando tudo é tarde

Encho os olhos de coisas novas qie ainda teria prazer em usufruir. E com alegria por elas existirem a tempo de eu as contemplar. Vejo obras em velhos monumentos, locais de uso diário com novas formas de aproveitamento, piscinas sobre telhados, com paísagens fabulosas, etc, etc. E penso, como tudo isto é vulgar neste tempo. O seu uso é visto como mais um atributo às gerações que criam, como consequência da criatividade de cada pessoa que luta para melhorar a sua própria vida. Quantas vezes olhei estes locais com tristeza, pelo seu abandono ou porque não eram aproveitados. Por todo o País observei a alegria dos portugueses, quando um novo teatro surgia ou um centro de convívio ou até uma nova estrada. De tudo apenas hoje tenho uma visão na TV ou na net e de todas as novidades tiro a alegria de outros puderem gozar-las. Para mim, é com tristeza que me vejo impedida de vaguear só pela cidade, pois o medo colou-se à independência que sempre guiou a minha vida. Mas acho natural que assim seja, pela falta de saúde e pelo tempo que já vivi.


publicado por velhoparafuso às 11:34

link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito
|

Quinta-feira, 16 de Julho de 2015

O título fica para o fim

A criatividade não existiu quando eu era jovem, porque não era falada a palavra na linguagem corrente. O criativo era um ser fora do habitual, olhado como alguém sem regras. Uma roupa de cor forte, um penteado diferente, uma escrita ou desenho que deixasse o observador sem entender o que o autor expunha, eram alvo de opiniões depreciativas que corriam de boca em boca. E nunca se dizia criativo mas louco, tonto ou muito pior. Claro que alguém chamou as atenções e foi criticado. Continuou na sua loucura e outros o seguiram. Assim a palavra, com um som suave, foi ficando, sem se saber por onde entrou. Hoje, felizmente, todos podemos ir criando a nossa vida, dia após dia. Olhando para trás, vejo como foi sempre assim, apenas a palavra estava esquecida dentro do Dicionário. Não era ignorância mas medo. Medo da novidade, medo de perder o que parecia estar seguro. Medo das velhas fogueiras, que pretendiam queimar o que não arde: a liberdade.


publicado por velhoparafuso às 17:01

link do post | comentar | favorito
|

Sábado, 11 de Julho de 2015

Se fui nuvem, se fui som...

Quando eu era flor, fui violeta. Pequena, perfumada e selvagem. O campo era a minha segurança, entre iguais cresci um pouco, ao sabor de brisas e águas frescas. A Pângeia era o único continente que o mar abraçava. Quando a Terra tremeu fui levada e plantada de novo, continuei violeta, mais perfumada, menos selvagem. Conheci mãos delicadas que me colheram sem sofrimento e anjos que me levaram ao colo para o paraíso. Depois ansiei por outra Vida. Bastou pensar, tive asas mas não sei onde estive. Depois...depois, fui vivendo de ilusões, sem memória, criando-me por vontades desconhecidas. Na memória das células deve estar escrito o poder de fantasiar e amar o caminho percorrido. De ser gente e gozar a alegria de ainda ser violeta, perfumada e selvagem num velho coração.


publicado por velhoparafuso às 18:35

link do post | comentar | favorito
|

Sexta-feira, 3 de Julho de 2015

Assim sou eu

O título apareceu sem pré aviso e dele peço desculpas, pois pode não ter relação com o texto. Por correio eletrónico recebi músicas célebres que me encantaram a tarde. Pensei escrever sim, mas com assunto pensado. As melodias tiraram-me os pés do chão e já não lembro as famosas palavras que tinha idealizado. Para me entreter vou lendo as notícias televisivas quando me apetece olhar, visto ter tirado o som por estar cansada das repetições. Cada assunto é, vezes sem conta, lido no teleponto. E então, como são acontecimentos tristes, ainda magoam mais. Há belas palavras como os sons que nos encantam. Mas nem sempre descem do seu mundo para serem aplicadas. Há semanas que não vinha ao blog, por ter outros afazeres uns dias e por estar preguiçosa noutros. O idioma grego, do qual o nosso também deriva, tem duas palavras chave que eu não vou esquecer: nai e oxi, ou seja sim e não. Sempre se aprende vendo TV. Eu não disse que o texto poderia estar fora do título? Mas será?


publicado por velhoparafuso às 17:53

link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito
|

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Julho 2017

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9
10
11
13
14
15

16
17
18
19
20
21
22

23
24
25
26
27
28
29

30
31


.tags

. todas as tags

.favorito

. Maratonistas

. o que acontece?

. Ida e volta

.Fazer olhinhos

blogs SAPO

.subscrever feeds