.posts recentes

. Depois do almoço

. O que eu quero de mim?

. Viver e aprender

. Atenta aos sinais

. Saudades de mim

. Um dia diferente

. Intemporal

. A estrada

. ...

. É só domingo

.arquivos

. Novembro 2017

. Outubro 2017

. Setembro 2017

. Agosto 2017

. Julho 2017

. Junho 2017

. Maio 2017

. Abril 2017

. Março 2017

. Fevereiro 2017

. Janeiro 2017

. Dezembro 2016

. Novembro 2016

. Outubro 2016

. Setembro 2016

. Agosto 2016

. Julho 2016

. Junho 2016

. Maio 2016

. Abril 2016

. Março 2016

. Fevereiro 2016

. Janeiro 2016

. Dezembro 2015

. Novembro 2015

. Outubro 2015

. Setembro 2015

. Agosto 2015

. Julho 2015

. Junho 2015

. Maio 2015

. Abril 2015

. Março 2015

. Fevereiro 2015

. Janeiro 2015

. Dezembro 2014

. Novembro 2014

. Outubro 2014

. Setembro 2014

. Agosto 2014

. Julho 2014

. Junho 2014

. Maio 2014

. Abril 2014

. Março 2014

. Fevereiro 2014

. Janeiro 2014

. Dezembro 2013

. Novembro 2013

. Outubro 2013

. Setembro 2013

. Agosto 2013

. Junho 2013

. Maio 2013

. Abril 2013

. Março 2013

. Fevereiro 2013

. Janeiro 2013

. Dezembro 2012

. Novembro 2012

. Outubro 2012

. Setembro 2012

. Agosto 2012

. Julho 2012

. Junho 2012

. Maio 2012

. Abril 2012

. Março 2012

. Fevereiro 2012

. Janeiro 2012

. Dezembro 2011

. Novembro 2011

. Outubro 2011

. Julho 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Julho 2010

. Maio 2010

. Março 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Setembro 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Setembro 2007

. Agosto 2007

. Julho 2007

. Maio 2007

. Abril 2007

. Março 2007

. Fevereiro 2007

Sábado, 22 de Outubro de 2016

Humor

No interior do tempo, procuro encontrar aquela parte de mim que eu desejava ter sido. Agora vejo o vazio do muito que perdi. Os projetos de vida esbateram-se até ao zero. As esperanças também. Fiquei na sombra a ver a luz iluminar outros eus. Todos somos muitos em cada um, mas poucos o sabem. Dependemos das escolhas e da hora que o tempo determina. Apenas pisei o chão de cada entrada e o medo de seguir em frente foi fechando as portas. Assim fui o eu mais cómodo, mais simples e fui ficando. Ouço-me a aceitar o que está, pois o que está escolhido era para mim o possivel, naquele tempo. Talvez seja assim, pensando na época em que as escolhas se deram. Cada ser humano é um potencial de atitudes e opções imenso, que só a experiência dá a conhecer. E por vezes é apenas um aperto no peito, uma ângustia que se cola e não diz porquê.

 


publicado por velhoparafuso às 18:19

link do post | comentar | favorito
|

Domingo, 16 de Outubro de 2016

Sinto que

o "Quinto Império" chegou. Pela palavra, pelo conhecimento, pela expansão, pela união, pela misericórdia. Pelo valor de muitos portugueses, que pelo mundo, elevam os conceitos universais sem olhar a fronteiras ou a etnias. Assim, está a "cumprir-se Portugal", como defeniu o Poeta. Os países também cumprem destinos. Portugal foi violento, corajoso e sábio, numa perspetiva material mas também espiritual. Cumpriu a primeira parte do seu destino. Ficou pequeno e pobre, como começou. A sua missão foi expandir. Passaram séculos e de novo, este povo é chamado a unir, pela alma lusa, as nações que se desconhecem. O idioma, a nossa pátria, é ouvida nos cinco continentes, a ciência, com prémios pelas causas que abraça, é mundialmente reconhecida. A alegria do desporto une nações. A aceitação dos abandonados e dos necessitados é a glória do nosso dia a dia. Se alguém quizer contestar estas ideias, fica já a saber que eu nada altero, pois me considero apta em analisar o tempo em que vivo.


publicado por velhoparafuso às 11:06

link do post | comentar | favorito
|

Sexta-feira, 7 de Outubro de 2016

Sonho vazio

 Sonhei-te, Irmã, hirta e branca, no meio do nada. Por segundos, julgo, senti-te triste e só. Trouxe-te para a minha cama, senti teu corpo deitado perto do meu, mas não me deste espaço e eu sugeri a cama grande do meu passado. Então o sonho acabou e guardei uma tristeza parecida com a tua, uma leve dor em mim pelo teu sofrimento ou pela tua ausência. Não sei.Talvez sejam lágrimas contidas, gritos não gritados, algo que te devo ainda sem conhecer o passado  que nos uniu. Estes pensamentos causam dor mas senti-la liberta-nos para a Luz.


publicado por velhoparafuso às 15:42

link do post | comentar | favorito
|

Domingo, 2 de Outubro de 2016

Família

Sobre a pequena família que tenho nunca falei. Somos poucos e pelo casamento. Mas tenho e com amizades fortes, conseguidas através dos anos de convívio. E agora mais esta alegria pela menina que vai nascer em fevereiro. Só ontem tive a boa notícia pois nem os avós sabiam que tinham uma neta a caminho. Numa família de cinco homens será a "menina nas mãos dos bruxos". Eu serei a bisavó se viver até lá. Vou "lutar" por isso, cuidando mais de mim.    


publicado por velhoparafuso às 17:14

link do post | comentar | favorito
|

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Novembro 2017

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4

5
6
7
8
9
10

12
13
14
15
16
17
18

19
20
22
23
24
25

26
27
28
29
30


.tags

. todas as tags

.favorito

. Maratonistas

. o que acontece?

. Ida e volta

.Fazer olhinhos

blogs SAPO

.subscrever feeds