.posts recentes

. ...

. É só domingo

. Passear comigo

. Abre e vê

. Hábito ou necessidade

. Lágrimas

. Calor e coração

. ...

. Manhã de nada

. ...

.arquivos

. Setembro 2017

. Agosto 2017

. Julho 2017

. Junho 2017

. Maio 2017

. Abril 2017

. Março 2017

. Fevereiro 2017

. Janeiro 2017

. Dezembro 2016

. Novembro 2016

. Outubro 2016

. Setembro 2016

. Agosto 2016

. Julho 2016

. Junho 2016

. Maio 2016

. Abril 2016

. Março 2016

. Fevereiro 2016

. Janeiro 2016

. Dezembro 2015

. Novembro 2015

. Outubro 2015

. Setembro 2015

. Agosto 2015

. Julho 2015

. Junho 2015

. Maio 2015

. Abril 2015

. Março 2015

. Fevereiro 2015

. Janeiro 2015

. Dezembro 2014

. Novembro 2014

. Outubro 2014

. Setembro 2014

. Agosto 2014

. Julho 2014

. Junho 2014

. Maio 2014

. Abril 2014

. Março 2014

. Fevereiro 2014

. Janeiro 2014

. Dezembro 2013

. Novembro 2013

. Outubro 2013

. Setembro 2013

. Agosto 2013

. Junho 2013

. Maio 2013

. Abril 2013

. Março 2013

. Fevereiro 2013

. Janeiro 2013

. Dezembro 2012

. Novembro 2012

. Outubro 2012

. Setembro 2012

. Agosto 2012

. Julho 2012

. Junho 2012

. Maio 2012

. Abril 2012

. Março 2012

. Fevereiro 2012

. Janeiro 2012

. Dezembro 2011

. Novembro 2011

. Outubro 2011

. Julho 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Julho 2010

. Maio 2010

. Março 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Setembro 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Setembro 2007

. Agosto 2007

. Julho 2007

. Maio 2007

. Abril 2007

. Março 2007

. Fevereiro 2007

Sexta-feira, 21 de Julho de 2017

...

Podem ser letras. Talvez palavras. Se houver ideias, que tal celebrá-las em textos? E vamos vivendo enchendo páginas, tecendo um livro fantasioso com o objetivo de ser lido e quiçá, apreciado. A pobre vaidade humana deixa assim passar os dias, julgando que é útil para si esta forma de se realizar. Quanto mais me analiso e procuro a tal vida útil, mais me distancio destas atitudes. Mais me sinto vazia. Porque eu sei que não são estes os caminhos que me levam para Casa. A Casa de onde vim para ser algo que não sei se fui e fazer algo que não sei se fiz. Cegueira completa para estes olhos. Talvez luz quando ali chegar. Faz-me bem dar alguma poesia às letras, às palavras e às ideias e assim concluir mais um texto onde desabafo a dor de não saber o que sou.


publicado por velhoparafuso às 17:33

link do post | comentar | favorito
|

Quarta-feira, 12 de Julho de 2017

Ignorante

Verifico que há milhares de pessoas a escrever na net e muitos fazem-no para ganhar dinheiro e notoriedade. Como não sei como se faz, deixo aqui a vontade de aprender. Não pelos motivos que indiquei mas pela curiosidade que o assunto desperta. Atacam na política, na vida pessoal, na culinária, nas relações familiares, etc etc.E porque se ganha dinheiro com isto e porque se é notável por isto? Sei que também se faz publicidade a coisas de uso pessoal e admito que seja uma forma de chegar ao deus-dinheiro. Embora todos saibamos que há mais mentiras do que verdades neste mundo subterrâneo, deverá haver regras para atingir estes fins. É tudo muito confuso para mim. Eu escrevo por prazer e nunca para influenciar seja quem for. E os poucos assuntos que eu abordo, além dos meus, são tirados do dia a dia, de forma leve, dada a minha ignorância sobre eles. Há também as chamadas visualizações, que se contam às centenas. Fico pensando como se pode viver agarrado à web a ler montes de palermices que não devem ser imitadas, nem deviam se ensinadas.


publicado por velhoparafuso às 11:10

link do post | comentar | favorito
|

Sábado, 8 de Julho de 2017

Falar de quê?

Quando acordo a manhã vai alta. A noção do corpo vem aos poucos ,porque procuro sentir como estou e onde estou.Algumas vezes há uma presença difusa que se desvanece quando tenho consciência de mim. Uma vez disse "mãe" e pasmei por isso. Envio meu pensamento para cada orgão sentindo a sua função e a pouco e pouco sei se estou bem de saúde. Eu dormi mas o corpo não. Nada falha na sua missão de me manter viva na matéria, numa programação sublime e eterna. Desperta, tento vencer a inércia que a idade traz. Depois "vejo" o dia, se é todo meu ou não. Nessas análises incluo alegrias e tristezas que já fazem parte do meu viver. As refeições são a horas certas e o vazio também. Olham por mim todos os mortos que transporto, família, amigos, amores. E por vezes trago tudo às palavras, publicamente, desporadamente.


publicado por velhoparafuso às 17:46

link do post | comentar | favorito
|

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Setembro 2017

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2

3
4
5
6
7
8
9

10
12
13
15
16

18
19
20
21
23

24
25
26
27
28
29
30


.tags

. todas as tags

.favorito

. Maratonistas

. o que acontece?

. Ida e volta

.Fazer olhinhos

blogs SAPO

.subscrever feeds