.posts recentes

. Falar do coração

. Vida vivida

. A carta sem resposta

. Depois do almoço

. O que eu quero de mim?

. Viver e aprender

. Atenta aos sinais

. Saudades de mim

. Um dia diferente

. Intemporal

.arquivos

. Dezembro 2017

. Novembro 2017

. Outubro 2017

. Setembro 2017

. Agosto 2017

. Julho 2017

. Junho 2017

. Maio 2017

. Abril 2017

. Março 2017

. Fevereiro 2017

. Janeiro 2017

. Dezembro 2016

. Novembro 2016

. Outubro 2016

. Setembro 2016

. Agosto 2016

. Julho 2016

. Junho 2016

. Maio 2016

. Abril 2016

. Março 2016

. Fevereiro 2016

. Janeiro 2016

. Dezembro 2015

. Novembro 2015

. Outubro 2015

. Setembro 2015

. Agosto 2015

. Julho 2015

. Junho 2015

. Maio 2015

. Abril 2015

. Março 2015

. Fevereiro 2015

. Janeiro 2015

. Dezembro 2014

. Novembro 2014

. Outubro 2014

. Setembro 2014

. Agosto 2014

. Julho 2014

. Junho 2014

. Maio 2014

. Abril 2014

. Março 2014

. Fevereiro 2014

. Janeiro 2014

. Dezembro 2013

. Novembro 2013

. Outubro 2013

. Setembro 2013

. Agosto 2013

. Junho 2013

. Maio 2013

. Abril 2013

. Março 2013

. Fevereiro 2013

. Janeiro 2013

. Dezembro 2012

. Novembro 2012

. Outubro 2012

. Setembro 2012

. Agosto 2012

. Julho 2012

. Junho 2012

. Maio 2012

. Abril 2012

. Março 2012

. Fevereiro 2012

. Janeiro 2012

. Dezembro 2011

. Novembro 2011

. Outubro 2011

. Julho 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Julho 2010

. Maio 2010

. Março 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Setembro 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Setembro 2007

. Agosto 2007

. Julho 2007

. Maio 2007

. Abril 2007

. Março 2007

. Fevereiro 2007

Quarta-feira, 27 de Setembro de 2017

A estrada

A criança entendeu que existia um caminho. Por ali foi até que encontrou uma biforcação. Parou e pensou que escolhendo não teria ajuda de ninguém. Já sabia ler e contar e assim escreveu no chão de terra o seu primeiro pedido de ajuda. Esperou cantando. Uma nuvem desceu do azul e ficou sobre uma árvore. Em poucos minutos a ajuda apareceu na terra da estrada e dizia: só tu podes decidir a tua vida, portanto a minha ajuda é dizer-te que se escolheres o caminho da direita ficarás sempre em dúvida e se o da esquerda fosse melhor? O ser humano duvida da Vida, mas Ela sabe o que é bom para ti. Não tenhas medo, segue o teu coração. A criança havia adormecido. Acordou com a ideia de qual o caminho que devia escolher e nunca soube porquê.


publicado por velhoparafuso às 17:42

link do post | comentar | favorito
|

Sexta-feira, 22 de Setembro de 2017

...

Estamos a caminho do inverno. Entra hoje o outono que eu amo, pela luz suave e pela cor das folhas e dos frutos.Mas os dias pequenos deixam nos corações alguma tristeza porque a noite já está atrás dos telhados, com pinceladas de vermelho até ao mar. Esta terra é fertil em cores, que vão buscar ao mar os brilhos do céu. Nesta prosa poética encontro palavras perdidas na memória e assim vou deduzindo que este gosto pela escrita sempre esteve presente na minha vida. E quando alguém, como hoje aconteceu, me estimula a continuar, sinto que não há erro nesta forma de felicidade. Cada frase tem um sentido e todos os sentidos são dádivas que eu recebo com humildade e alegria. O verão diluice no tempo


publicado por velhoparafuso às 16:32

link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito
|

Domingo, 17 de Setembro de 2017

É só domingo

Por isso há visitas, almoços com gente nova e muitas crianças.  São netos e bisnetos em companhia aos que amam. Também recebo, mas pouco. Alegro-me por ver como é bom estas dádivas, recebidas de braços abertos. As semanas voam portanto há domingos repetidos dia sim dia não. Como vai longe o tempo em que não havia tempo, o domingo era o tempo da carne assada à mesa da avó Amália e logo havia um tempo muito longo de uma escola, sem fim nem alegria. Os transportes eram escassos. Adultos e crianças iam a pé em caminhos degradados, de casa em casa,  ora uma avó, ora outra, com ou sem vontade, visitando todos numa praxe social e também de amor. E o tempo passou sem pensar nele como hoje se pensa. O tempo de hoje vive dentro do tempo antigo, por vezes com saudade, por vezes com revolta. Tudo porque não sentíamos o tempo a sugar-nos, a levar-nos para um tempo novo, onde o lugar não existe e o tempo deixa de ser memória.


publicado por velhoparafuso às 14:52

link do post | comentar | favorito
|

Quinta-feira, 14 de Setembro de 2017

Passear comigo

O céu de um azul índigo. A brisa da manhã suavisava o calor. Dia de verão, feito de conforto e de beatitude. Agradeci o transporte e fiquei só comigo. Somos tantos dentro e fora que pareço tonta. Mas o estar só comigo, no meio de gente, dá-me asas, faz-me feliz. Esqueço a idade mas vou devagar, amparo-me onde posso e decido. É aí que me encontro, na recordação das vivências, liberta de conselhos e de sugestôes. Escolhi o lugar para almoçar. Agradavelmente satisfeita, ouvi e analisei as pessoas que também almoçavam. Que diferença entre elas e eu quando trabalhava! Desde a roupa aos comportamentos, desde os assuntos até à linguagem, tudo parece outro mundo. A liberdade tem cheiro, tem som, tem cor. Estas pessoas não devem saber como o "parece mal" é castrador, é inibidor. Gostei de ver e de sentir como se vive à vontade com a vida.


publicado por velhoparafuso às 15:19

link do post | comentar | favorito
|

Segunda-feira, 11 de Setembro de 2017

Abre e vê

Assim me disse o Amigo que entregou um pequeno embrulho, com laço amarelo. Não abri e guardei para outro dia me alegrar. E dia após dia estive feliz porque tinha um brinde. Fui esquecendo e assim passaram anos. No fundo da gaveta brilhava o amarelo da fita chamando por mim. O Amigo, lá no céu ficou em silêncio até hoje, quando eu toquei naquele papel envelhecido. Abri. Uma pequena caixa branca desfez-se nos meus dedos e nada havia dentro dela Apenas um suave perfume me envolveu. A voz suave que não sei de onde vem disse: abriste e viste o conteúdo da mensagem. Agora procura a verdade na tua alma. Só o invisivel é teu e te faz feliz. Não sei explicar mas achei que estava no caminho.


publicado por velhoparafuso às 19:00

link do post | comentar | favorito
|

Domingo, 3 de Setembro de 2017

Hábito ou necessidade

 Por três semanas estive sem acesso à rede. Senti uma falta estranha, uma inibição que me causou um sentimento dificil de definir, quase revolta, quase prisão. Depois resolvi gerir essa falta com um raciocínio simples: quantos anos vivi sem tal coisa? Pois não vou pensar que ela existe e usar o que tenho. Assim vi mais TV, escrevi sobre as minhas lembranças e analisei como nos submetemos a disfrutar o que vai surgindo ficando refens de cada novidade. Há muito que explicar sobre cada sentimento de dor ou de alegria. De nós, humanidade, tudo é possivel. Eu não sei responder a perguntas que a mim faço em cada dia que aqui estou. Estarei já condicionada por todas as alterações à vida que vivi? Talvez seja um hábito ou uma necessidade?  A lingua portuguesa é cheia de sofismas. Dificil é defini-los.


publicado por velhoparafuso às 15:17

link do post | comentar | favorito
|

Sábado, 2 de Setembro de 2017

Lágrimas

Fim de um dia muito quente. Dificil respirar. Recuperar o ritmo cardíaco e confiar na noite. Chamas sobre tudo que arde, vento rodopiando ao capricho de uma natureza sem piedade. Emocionalmente dificil ouvir e ver o que a TV transmite. Portugal de rastos. Como obter o oxigénio necessário a tantos corpos? Quantas décadas para se repor o que se perdeu? E os riscos que se correm para salvar vidas, animais e bens? As perguntas não teem fim e a dor também não. Minha amada terra, quem dera entender os desígnios do destino de todos e de cada um, embora saiba que sou apenas uma formiga impotente neste profundo mistério.


publicado por velhoparafuso às 18:15

link do post | comentar | favorito
|

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Dezembro 2017

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2

3
4
5
6
7
8
9

10
11
12
13
14
15
16

17
18
19
20
21
22
23

24
25
26
27
28
29
30

31


.tags

. todas as tags

.favorito

. Maratonistas

. o que acontece?

. Ida e volta

.Fazer olhinhos

blogs SAPO

.subscrever feeds