.posts recentes

. Do meu mundo azul

. À sombra do futuro

. À janela

. Tão longe, tão longe...

. Esta quinta-feira...

. Imaginário

. Covid 19

. A saúde

. As dores de cada dia

. Neta de um Brasil profund...

.arquivos

. Setembro 2020

. Agosto 2020

. Julho 2020

. Junho 2020

. Maio 2020

. Abril 2020

. Março 2020

. Fevereiro 2020

. Janeiro 2020

. Dezembro 2019

. Novembro 2019

. Outubro 2019

. Setembro 2019

. Agosto 2019

. Julho 2019

. Junho 2019

. Maio 2019

. Abril 2019

. Março 2019

. Fevereiro 2019

. Janeiro 2019

. Dezembro 2018

. Novembro 2018

. Outubro 2018

. Setembro 2018

. Agosto 2018

. Julho 2018

. Junho 2018

. Maio 2018

. Abril 2018

. Março 2018

. Fevereiro 2018

. Janeiro 2018

. Dezembro 2017

. Novembro 2017

. Outubro 2017

. Setembro 2017

. Agosto 2017

. Julho 2017

. Junho 2017

. Maio 2017

. Abril 2017

. Março 2017

. Fevereiro 2017

. Janeiro 2017

. Dezembro 2016

. Novembro 2016

. Outubro 2016

. Setembro 2016

. Agosto 2016

. Julho 2016

. Junho 2016

. Maio 2016

. Abril 2016

. Março 2016

. Fevereiro 2016

. Janeiro 2016

. Dezembro 2015

. Novembro 2015

. Outubro 2015

. Setembro 2015

. Agosto 2015

. Julho 2015

. Junho 2015

. Maio 2015

. Abril 2015

. Março 2015

. Fevereiro 2015

. Janeiro 2015

. Dezembro 2014

. Novembro 2014

. Outubro 2014

. Setembro 2014

. Agosto 2014

. Julho 2014

. Junho 2014

. Maio 2014

. Abril 2014

. Março 2014

. Fevereiro 2014

. Janeiro 2014

. Dezembro 2013

. Novembro 2013

. Outubro 2013

. Setembro 2013

. Agosto 2013

. Junho 2013

. Maio 2013

. Abril 2013

. Março 2013

. Fevereiro 2013

. Janeiro 2013

. Dezembro 2012

. Novembro 2012

. Outubro 2012

. Setembro 2012

. Agosto 2012

. Julho 2012

. Junho 2012

. Maio 2012

. Abril 2012

. Março 2012

. Fevereiro 2012

. Janeiro 2012

. Dezembro 2011

. Novembro 2011

. Outubro 2011

. Julho 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Julho 2010

. Maio 2010

. Março 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Setembro 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Setembro 2007

. Agosto 2007

. Julho 2007

. Maio 2007

. Abril 2007

. Março 2007

. Fevereiro 2007

Quarta-feira, 16 de Setembro de 2020

Do meu mundo azul

alimento a Alma, do Tempo que passa alimento os dias que estou vivendo. E tudo azul, aquele azul índigo com ventos de areias, planicies e desertos. E tudo em mim, pelo poder da criação e da imaginação. Da fortuna de ser, de saber que é. Que isto de ser humano é viver o que quizer e escolher a vida. Quero ser o que sou por opção de vida. Podia ser outro e mais outro. As escolhas são minhas, em azul, tudo azul. Até a loucura é opção, por responsável desta vida que vivo.

 


publicado por velhoparafuso às 15:08

link do post | comentar | favorito

Sábado, 12 de Setembro de 2020

À sombra do futuro

Sou feita de neutrões, fotões e de tudo que os átomos dão a todos os organismos na matéria, seja no mais pequeno seja no maior. Por isso sou um ser de Luz, embora envolvida nesta massa de água que parece compacta mas não é. É neste conjunto que tenho todas as sensações que a Vida me concede ou seja, viver. E o "animus" vem da centelha de que sou feita, eu e todos os seres vivos neste planeta. Desde o protozoário ao Homem, tudo é Luz e Mistério . Mas também sei, embora não saiba como, que estamos a chegar a um fim de ciclo  e para o qual a humanidade não está preparada. A Era de Aquário chegou, alterando a visão das sociedades sobre si mesmas. Esta Era traz humanização, igualdade, conhecimento, liberdade, amor e sabedoria. É um trabalho insano para a juventude que começa a tentar limpar o lixo que lhe deixamos. O deus dinheiro terà menos valor e talvez os egoismos também serão quase eliminados. A esperança está no nosso coração.


publicado por velhoparafuso às 18:34

link do post | comentar | favorito

Sexta-feira, 11 de Setembro de 2020

À janela

Tenho  muitas pessoas à minha beira e muitas que comigo convivem através dos ecrans de TV e Pc. Havendo imaginação e respeito pelo acontecimento pandémico, é com alegria que devemos viver este esforço diário de estar à janela e atrás da porta fechada. Claro que é dificil não ir passear, tomar um café, ir ver o mar. Abraçar os amigos enche-me de saudades. Não ver a bisneta, não sentir o vento. Se tenho um belo jardim para andar, mesmo muito devagar, porque não o utilizo? Porque não devo ir sózinha. Posso caír apenas com a bengala. O medo cresceu. É triste mas é o que há. O tempo quente cansa e torna-me mais sensivel aos estados de alma. Triste ano de 2020, nunca mais esquecido.


publicado por velhoparafuso às 18:03

link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito (1)

Sexta-feira, 4 de Setembro de 2020

Tão longe, tão longe...

É de longe que lhe falo. O amor pode ser uma vibração que não é sentida e também ser tão forte que passa sobre o mar e chega ao destino forte como partiu. Assim a minha neta brasileira recebe as minhas energias como se estivessemos de mãos dadas. Ela encontrou o amor e está a vive-lo naquela bolha que nos separa do mundo enquanto a paixão durar. Depois, quando esta amainar, terá de saber usar o amor para que este "seja eterno enquanto dure" e dure para ser eterno. Dar o respeito necessário, dar a ternura como água de rega e sentir a responsabilidade pela dádiva que transmite. Espero que ela leia este texto e medite. Da avó em outro mundo.


publicado por velhoparafuso às 18:28

link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito

Quinta-feira, 27 de Agosto de 2020

Esta quinta-feira...

Devo ou não escrever sobre mim? A dúvida é já uma parvoice e falar de mim pode ser um engano sobre o que vivo nestes terriveis dias de doenças desconhecidas. Há meses contida neste espaço agradável, não por medo mas porque não tenho amigos ou familia a quem pedir um passeio, um almoço, enfim, um alívio a esta situação de prisão. Estão receosos os velhos, que o "bicho" mata todos sabemos. Mas sendo a morte certa porque nos guardam tanto? E pronto, esta quinta-feira disse pouco.


publicado por velhoparafuso às 15:58

link do post | comentar | favorito

Quinta-feira, 20 de Agosto de 2020

Imaginário

O esquecimento é o baú das memórias. Abrimos a tampa e vemos o passado, a família, os bons e os maus momentos, os sabores, os amores, etc, etc. O esquecimento é um baú sem fundo, onde as nossas vidas se depositam sem darmos pelo seu trabalho. Mesmo quando queremos esquecer e não conseguimos é porque o baú se fechou e pronto, nada feito. Idealizar estes acontecimentos que os sentimentos comandam, é talvez a ilusão da nossa mente de que gerimos o nosso destino. E como está destinado há que cumpri-lo o melhor que soubermos. E assim vamos aos guardados para aprender de novo. Vida difícil, vida maravilhosa, mesmo cheia de lágrimas.


publicado por velhoparafuso às 11:31

link do post | comentar | favorito

Sábado, 15 de Agosto de 2020

Covid 19

Tudo parou exceto o medo. Este invadiu os sonhos e cada minuto parece que nos leva o tempo, o tempo que devia ser vivido a crescer, a progredir dentro e fora de nós. Temos medo. Todo o mundo sofre e muitos que partem levam o medo consigo. Para onde? Aqui todos o ignoram. A consciência da morte é mais presente, está colada a todos por um vírus que trouxe as consequências do egoísmo, da indifrença e de tudo de mal sobre a Terra. Agora é viver esta luta, como é possivel e juntar os cacos daquilo que o vírus partiu e partirá, aprendendo a amar sem temer o que o Céu nos envia. Conforme o pensamento de cada um assim será.


publicado por velhoparafuso às 16:01

link do post | comentar | favorito

Sexta-feira, 7 de Agosto de 2020

A saúde

Quando eu digo que tenho doenças mas não sou doente, apenas quero expressar o meu desagrado perante os lamentos e as queixas que muitas pessoas atiram sobre os que nada podem fazer para os curar. Claro que corpo velho não funciona bem. Hoje doi aqui, amanhã doi ali. Hoje sinto mais um orgão do que outro. Falo com cada um fixando a energia curativa com o pensamento. Pode parecer maloqueira mas vai surtindo efeito. Sei que cada célula é dotada de inteligência para fazer o seu trabalho que é manter-me viva, capaz e ativa. Há dias mais dificeis, é verdade. Mas tudo ainda suporto porque algo me protege.


publicado por velhoparafuso às 16:44

link do post | comentar | favorito

Sexta-feira, 31 de Julho de 2020

As dores de cada dia

Não sei se faço.

Não sei se vou.

Não sei se posso.

Não sei se sou.

Não sei se entendo.

Não sei se dou.

Não sei se doendo

o amor cá ficou.

Canto esta balada,

escrevo só para mim.

Conhecendo a palavra

fico igual, fico assim.

E depois fico triste pelo mundo, por mim. As alegrias esgotaram-se. Parece que tudo abana e que o chão é de lama onde tudo se engole. Não há braços para abraçar, os abrigos são escassos e o Amor não se fixa entre os humanos. Partem aos milhares no seio da Morte. Há destinos a cumprir. Serão o principio do fim? Quem sabe?

 


publicado por velhoparafuso às 18:15

link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito

Quinta-feira, 23 de Julho de 2020

Neta de um Brasil profundo

Falamos sobre a beleza da mata, o perfume das frutas, a sementeira do milho. Ligada a tudo isto estava uma mulher, a avó, que de tudo fazia pão, sopas, casas, vizinhos, bondade e força para lutar em cada dia de vida. Mulher só (o marido foi infiel), mudou de terra e levou a neta e mais dois adotados. E mais uma irmã solteira. Construiu tijolo a tijolo uma casa no meio do nada. Levou tudo para a escola,  a muitos quilómetros do sítio. Plantou, semeou e colheu. Criou animais e vivia de trocas entre vizinhos. Tudo isto foi repetido porque a natureza nem sempre é pacifica. Começada de novo, a família sempre junta. O respeito pela terra, o amor pelo que produzia, a proteção aos netos, fizeram desta mulher a estrela de luz que chega a Portugal através das pessoas que hoje ajudam muita gente. Quantos homens e mulheres ajudam a humanidade, não sabemos. Quem os reconhece agradece em nome de todos.


publicado por velhoparafuso às 15:54

link do post | comentar | favorito

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Setembro 2020

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5

6
7
8
9
10

13
14
15
17
18
19

20
21
22
23
24
25
26

27
28
29
30


.tags

. todas as tags

.favorito

. Maratonistas

. o que acontece?

. Ida e volta

blogs SAPO

.subscrever feeds