.posts recentes

. O sono e o texto

. Na hora do vento

. As pequenas alegrias

. Dentes voadores e angústi...

. A escrita

. A Honra

. Brincar de velho sendo ve...

. Leituras

. Ser inédito

. Amizades

.arquivos

. Outubro 2018

. Setembro 2018

. Agosto 2018

. Julho 2018

. Junho 2018

. Maio 2018

. Abril 2018

. Março 2018

. Fevereiro 2018

. Janeiro 2018

. Dezembro 2017

. Novembro 2017

. Outubro 2017

. Setembro 2017

. Agosto 2017

. Julho 2017

. Junho 2017

. Maio 2017

. Abril 2017

. Março 2017

. Fevereiro 2017

. Janeiro 2017

. Dezembro 2016

. Novembro 2016

. Outubro 2016

. Setembro 2016

. Agosto 2016

. Julho 2016

. Junho 2016

. Maio 2016

. Abril 2016

. Março 2016

. Fevereiro 2016

. Janeiro 2016

. Dezembro 2015

. Novembro 2015

. Outubro 2015

. Setembro 2015

. Agosto 2015

. Julho 2015

. Junho 2015

. Maio 2015

. Abril 2015

. Março 2015

. Fevereiro 2015

. Janeiro 2015

. Dezembro 2014

. Novembro 2014

. Outubro 2014

. Setembro 2014

. Agosto 2014

. Julho 2014

. Junho 2014

. Maio 2014

. Abril 2014

. Março 2014

. Fevereiro 2014

. Janeiro 2014

. Dezembro 2013

. Novembro 2013

. Outubro 2013

. Setembro 2013

. Agosto 2013

. Junho 2013

. Maio 2013

. Abril 2013

. Março 2013

. Fevereiro 2013

. Janeiro 2013

. Dezembro 2012

. Novembro 2012

. Outubro 2012

. Setembro 2012

. Agosto 2012

. Julho 2012

. Junho 2012

. Maio 2012

. Abril 2012

. Março 2012

. Fevereiro 2012

. Janeiro 2012

. Dezembro 2011

. Novembro 2011

. Outubro 2011

. Julho 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Julho 2010

. Maio 2010

. Março 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Setembro 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Setembro 2007

. Agosto 2007

. Julho 2007

. Maio 2007

. Abril 2007

. Março 2007

. Fevereiro 2007

Quarta-feira, 28 de Fevereiro de 2018

Viver dentro

Eu sou toda a gente. Como uma gota de chuva que se distinguiu da nuvem carregada de água, eu saí do lugar a que chamamos céu por termos esquecido o nome do berço natural. Agora apenas julgamos ter nascido do pai e da mãe, de quem herdamos o bom e o mau da nossa caminhada. Como a gota de chuva, eu e toda a humanidade, fazemos parte de um todo, que se individualizou para viver a experiência de ser em matéria e espírito. É feliz quem consegue reconhecer que somos afinal os "irmãos" que todas as religiões apregoam, alargando até ao cosmos pois tudo foi criado. Assim, para quê a maldade a outrem se outrem sou eu também? Pensemos e sintamos esta forma de vida.


publicado por velhoparafuso às 18:07

link do post | comentar | favorito

Sexta-feira, 23 de Fevereiro de 2018

A alegria de ser entendida

Cada palavra é abençoada pela ideia que transmite. Dizem-me que há comoção quando é lida e quase vivida. Que mais pode pedir alguém quando de longe põe a palavra em sentimento para o mundo? Para mim são essas manifestações que me levam a escrever. Quando menos espero recebo um carinho de  um velho amigo, um elogio desconhecido, uma mensagem de alguém muito perto, que eu pensava não ser leitor desta forma de comunicar. Por vezes apenas digo como sinto a distância das pessoas que deixei de ver, outras vezes falo do que tenho em Graça à Vida qua amo, vivendo em sabedoria que a experiência me deu. São assim escritos e sentidos estes pequenos textos que vou introduzindo no espaço infinito de cada coração.


publicado por velhoparafuso às 16:43

link do post | comentar | favorito

Quarta-feira, 7 de Fevereiro de 2018

Conhecer e sentir

É à noite que os olhos se dilatam. É à noite que o medo vem. Surgem dedos longos com unhas que seguram os sonhos que o medo traz. E a ansiedade renasce da noite anterior, viva e completa, reduzindo o coração a brinquedo de criança. Salta à garganta e pára no peito, dando efeito de berlinde, quando o medo era pequeno e não fazia ansiedade.. Era outro tempo, tudo era princípio. Na ansiedade vem a lembrança não desejada com aquilo que devo esquecer à mistura. E a noite parece maior, mesmo dormindo. Tudo é estranho no xadrez da vida se não se sabe jogar este jogo, que eu não aprendi. Sinto a noite com os olhos abertos e espero.


publicado por velhoparafuso às 16:00

link do post | comentar | favorito

Domingo, 4 de Fevereiro de 2018

A surpresa

É comigo que me encontro quando as sensações são alteradas e eu deixo de me controlar. Ontem voltei a outro local, a outra vida, quando os Amigos eram próximos e com eles contava.  A distância apagou-se em minutos quando o calor dos abraços me aqueceu e o espanto me invadiu. Passados vinte anos voltei a senti-los e a despojar-me daquele formulário dos parabens e boas festas. Falar alto, rir, enfim dizer que a amizade é que nos une a todos. Foi o calor em um dia frio, foi a laranja comida no pomar. Encontrei-me sim, comigo, quando o tempo me devolveu o que parecia ter tirado.


publicado por velhoparafuso às 17:06

link do post | comentar | favorito

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Outubro 2018

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6

7
8
9
10
11
12

14
16
17
18
19
20

21
22
23
24
25
26
27

28
29
30
31


.tags

. todas as tags

.favorito

. Maratonistas

. o que acontece?

. Ida e volta

.Fazer olhinhos

blogs SAPO

.subscrever feeds