.posts recentes

. Os noventa mais um

. A noite é longa

. Fazer alguma coisa

. A emoção de escrever

. A mascara

. As leituras de quem escre...

. O vírus e o medo

. O céu e o sonho

. Solidão em mar de gente

. Respeitar a palavra dada

.arquivos

. Fevereiro 2021

. Janeiro 2021

. Dezembro 2020

. Novembro 2020

. Outubro 2020

. Setembro 2020

. Agosto 2020

. Julho 2020

. Junho 2020

. Maio 2020

. Abril 2020

. Março 2020

. Fevereiro 2020

. Janeiro 2020

. Dezembro 2019

. Novembro 2019

. Outubro 2019

. Setembro 2019

. Agosto 2019

. Julho 2019

. Junho 2019

. Maio 2019

. Abril 2019

. Março 2019

. Fevereiro 2019

. Janeiro 2019

. Dezembro 2018

. Novembro 2018

. Outubro 2018

. Setembro 2018

. Agosto 2018

. Julho 2018

. Junho 2018

. Maio 2018

. Abril 2018

. Março 2018

. Fevereiro 2018

. Janeiro 2018

. Dezembro 2017

. Novembro 2017

. Outubro 2017

. Setembro 2017

. Agosto 2017

. Julho 2017

. Junho 2017

. Maio 2017

. Abril 2017

. Março 2017

. Fevereiro 2017

. Janeiro 2017

. Dezembro 2016

. Novembro 2016

. Outubro 2016

. Setembro 2016

. Agosto 2016

. Julho 2016

. Junho 2016

. Maio 2016

. Abril 2016

. Março 2016

. Fevereiro 2016

. Janeiro 2016

. Dezembro 2015

. Novembro 2015

. Outubro 2015

. Setembro 2015

. Agosto 2015

. Julho 2015

. Junho 2015

. Maio 2015

. Abril 2015

. Março 2015

. Fevereiro 2015

. Janeiro 2015

. Dezembro 2014

. Novembro 2014

. Outubro 2014

. Setembro 2014

. Agosto 2014

. Julho 2014

. Junho 2014

. Maio 2014

. Abril 2014

. Março 2014

. Fevereiro 2014

. Janeiro 2014

. Dezembro 2013

. Novembro 2013

. Outubro 2013

. Setembro 2013

. Agosto 2013

. Junho 2013

. Maio 2013

. Abril 2013

. Março 2013

. Fevereiro 2013

. Janeiro 2013

. Dezembro 2012

. Novembro 2012

. Outubro 2012

. Setembro 2012

. Agosto 2012

. Julho 2012

. Junho 2012

. Maio 2012

. Abril 2012

. Março 2012

. Fevereiro 2012

. Janeiro 2012

. Dezembro 2011

. Novembro 2011

. Outubro 2011

. Julho 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Julho 2010

. Maio 2010

. Março 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Setembro 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Setembro 2007

. Agosto 2007

. Julho 2007

. Maio 2007

. Abril 2007

. Março 2007

. Fevereiro 2007

Segunda-feira, 28 de Dezembro de 2020

O céu e o sonho

O tempo e o espaço iludem os humanos. Estes julgam tudo pelos sentidos que lhe foram dados mas nem sempre é assim. O espaço é o sentido do movimento e o tempo é criado pela nossa mente. No tempo vivemos e na ilusão nele morremos. Podemos faze-lo rápido, lento, belo, horrivel, etc, etc. É para alguns apenas a luta pelo ganha pão e o tempo não chega, para outros é o inverso. Depois há o outro tempo, tempo bom de primavera ou de chuva no inverno. Tudo isto para chegar ao tempo de cada um, dentro da mente que nos leva ao infinito, ao pensamento criativo, ao conhecimento, ao divno de cada ser.  Porque penso eu estas questões se não sei as respostas? No meu sonho, no meu céu......


publicado por velhoparafuso às 16:30

link do post | comentar | favorito

Quinta-feira, 24 de Dezembro de 2020

Solidão em mar de gente

Os mortos andam na casa e os vivos apenas são. Os contactos parecem uniões mas enganam por serem fúteis e ignorantes . Esta forma de viver é pouco sáudável para a alma, que anseia por uma subida a caminho de Casa. Estamos juntos por acaso? Ou há um propósito que nos trouxe aqui? Para lá da pandemia virá uma mudança que nos envolva? Pensar e amar o mundo, abrir o coração à natureza, modificar os interesses pessoais e unir o bem comum. Tudo por Todos. NATAL.


publicado por velhoparafuso às 15:47

link do post | comentar | favorito (1)

Domingo, 13 de Dezembro de 2020

Respeitar a palavra dada

Cresci ouvindo o valor da Palavra. Aprendi a honrar o prometido. Vida fora fui respeitando as minhas opiniões e as das outras pessoas. Assim me respeito perante uma sociedade que vacila, que duvida, que prefere os interesses pessoais à certeza do combinado e da honra. Hoje, perante uma situação inusitada de roubo, encontro-me entre atitudes adversas cujas consequências são muito desagradáveis para mim. O que me foi dito virou o oposto com outra pessoa. Palavra de diretor com duas faces. Sinismo ou cobardia, ou talvez peor. Por tudo isto prefiro o prejuizo em dinheiro do que ser apelidada de falsa ou mentirosa.


publicado por velhoparafuso às 16:32

link do post | comentar | favorito

Sábado, 12 de Dezembro de 2020

Alegria, onde estás?

Talvez em meu peito, talvez em meus olhos, metida na relva, atrás dos pinheiros, oh alegria que foste tão bela e me deste a mão quando precisei de ti. Alegria, uma menina doce que ao acordar chamava por mim. Me tirava da cama, me vestia e caçava, me dava a bengala que adotei como amparo. Após tantos anos te perdi, alegria, os meus olhos estão tristes, pequenos e baços. Neles residias e tu, alegria, dava-lhes a luz que tudo iluminava. Agora te procuro, enche o meu vazio, leva esta tristeza para lá de mim.


publicado por velhoparafuso às 16:30

link do post | comentar | favorito

Segunda-feira, 7 de Dezembro de 2020

Sentir o chão, uni-lo ao céu

Ou seja, pés quentes e cabeça fria. Equilíbrio, saude mental, coração aberto ao espanto de estar aqui. Viver sabendo que mais vidas virão para encontrar o caminho. Deus em mim e em cada um, numa pobre humanidade que não reconhece as próprias fraquezas e se envolve em poderes que não domina. E se tudo fosse apenas imaginado? Como sombras de algo que não existe? Filosofar é isto: pensar, procurar entender o visivel e o invísivel, ao mesmo tempo que se vive dia após dia lutando com as necessidades a que a vida nos obriga. Experimentar sensações, carências reais, amores extremos. Cada ano num segundo, poeticamente falando. Aqui estou eu, triste pelo mundo, pedindo Luz e Sabedoria a algum deus que ampare os que vão vivendo sem saber o que fazer da vida.


publicado por velhoparafuso às 15:21

link do post | comentar | favorito

Sexta-feira, 4 de Dezembro de 2020

Com o tempo estou

As palavras não são minhas. Quem as ditou? Talvez o vento, talvez a mágoa. De mim, vazia de ideias mas cheia da tristeza que me foi infligida. Passos da vida em caminhos desconhecidos e tortuosos. Encontros com gente imatura, sem carater, sem moral. O crime é visto como tentação de alguém que estaria em dificutoldades financeiras. E os outros? Os amigos, os colegas de trabalho? Isto doi e muito. Ao tempo que se vive, a todos peço desculpa por não serem minhas as palavras....


publicado por velhoparafuso às 15:40

link do post | comentar | favorito

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Fevereiro 2021

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6

7
8
9
10
11
12
13

14
15
16
17
18
19
20

21
22
23
24
25
26
27

28


.tags

. todas as tags

.favorito

. Maratonistas

. o que acontece?

. Ida e volta

blogs SAPO

.subscrever feeds